Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais

Navegação

Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Legislativo resgata os 80 anos de história do Colégio Marista Medianeira

Legislativo resgata os 80 anos de história do Colégio Marista Medianeira

         Fundado em 1817 por Marcelino Champagnat no Vilarejo de La Valla, na França, o Instituto dos Irmãos Maristas se dedica à educação de crianças e jovens com a missão de formar bons cristãos e virtuosos cidadãos.

         Os primeiros discípulos receberam de Champagnat a orientação humana, intelectual, pedagógica, gerencial e espiritual que caracteriza o modo Marista de ser e atuar. “Hábeis educadores, espalharam-se pela França, estendendo o conhecimento e o direito à educação a dezenas de crianças e jovens nos lugarejos mais empobrecidos.

         Os Irmãos Maristas são religiosos consagrados em vida comunitária, de confissão católica. Dedicam suas vidas a Deus, esforçam-se por tornar Jesus Cristo conhecido e amado e vivem uma espiritualidade baseada nas virtudes de Maria, daí do nome Marista.

         “O Colégio Nossa Senhora Medianeira, mantido e administrado pelos Irmãos Maristas foi um marco para a educação em Erechim e região. Além dos cursos primários e ginasial, instalou o Curso de Técnico em Contabilidade, pois a região progredia e a falta destes profissionais era grande”.

         Sua fundação ocorreu em 1935. Em decorrência dos inúmeros pedidos da população local, o pároco Benjamin Busato, o provincial Irmão Adriano cedeu três irmãos para a abertura do Instituto Comercial Nossa Senhora Medianeira. “A procura dos alunos foi tão numerosa que as vagas foram preenchidas em apenas um dia de matrículas, com os cursos Primário, Admissão e Comercial”.

         Ao logo dos anos foi destaque na educação e na vida de diversas famílias em toda a região, que confiaram seus filhos ao educandário. “Uma história que se confunde com o do município, da vida e dos sonhos de grande parte de nossa população. Não importa em que ano ou em que turma, para que possamos lembrar de um tempo que não volta mais, mas que se mantém vivo na memória de cada um”.

         “O que eu quero falar é do sentimento de ter sido acolhido pelo colégio em 1963, pois quando cheguei senti a felicidade de uma experiência que não tinha vivenciado, me senti recebido como uma mãe que acolhe seu filho no colo. Mesmo com a rigidez de nossos mestres, o carinho e o respeito eram imensos. Pensar na minha infância é lembrar dos Maristas”.

         Após elencar as diversas atividades que eram desenvolvidas dentro e fora das salas de aula, Cezar destacou que não existem palavras suficientes para explicar o que representa o Colégio Marista em sua vida. “Não sei como descrever o sentimento, a emoção e saudade de aluno, que existe não porque não estamos lá, mas porque um dia lá estivemos. Sinto saudades até dos momentos de lágrimas, de angústia. Todos nós carregamos, em nossas vidas, aquelas experiências de aprendizagem que ali vivemos e, com certeza, a sua influência extrapola até mesmo aqueles que não foram alunos do colégio”.

         “O colégio, por mais paradoxal que seja, se fortaleceu com a obra maravilhosa das leis do comportamento humano. Criatividade, tecnologia e aperfeiçoamento fez com que conquistasse novamente o título de excelência em educação. Caminhou rapidamente para o gigantismo. Uma história não para ao ser apenas contada, mas continuada. Cabe aos atuais alunos, funcionários, professores e diretores continuarem esta história, pois passado não lhes falta. Cuidem do presente, alcancem o futuro”.

         Em nome do colégio, o diretor Maurício Anony agradeceu a proposição e a realização da Sessão Solene, como da presença de ex-alunos maristas e seus familiares, além de outros elencados em sua manifestação.

         “Hoje, para nós, é um momento muito importante, principalmente no mês que marca a presença significativa de São Marcelino Champagnat em nossas vidas, que marca a vinda dos primeiros irmãos Maristas para o nosso Estado. Um legado, uma história com um grande propósito, de formar bons cidadãos e cristãos. Que bom fazer parte dessa grande família Marista, hoje mantemos viva e acesa essa chama, que nos clama, e nos envia a realmente oferecer uma educação com visão, com missão e com valores, como a simplicidade, espírito de família, amor e trabalho, audácia, presença, solidariedade e espiritualidade. Valores fundamentais que jamais se apagam das nossas vidas”. 

         Nas homenagens, além da Menção Honrosa, foi entregue uma placa em homenagem ao Irmão Canísio Puhl através da direção do Colégio.